Obra de arte: Boceta de Pandora (ref. 176)
 
 
 
 

A criação desta obra surgiu quando começou uma rebelião carcerária, pensando sobre os presos que desumanamente vivem aglomerados em um espaço de 30x30 cm. Senti a necessidade de criar algo sobre os males da humanidade e um desses males que escolhi, foi a superpopulação carcerária. Pintei em um quadro de 100x150cm, uma caixa aberta, onde no canto inferior direito, coloquei fotos de crianças, irradiando luz e esperança. Ao centro, um sudário do presidiário e dos lados, as mãos do próprio presidiário (clique aqui para ver a mídia) protestando sobre a superpopulação carcerária. Então achei que deveria transformar meu ateliê em uma penitenciária. E de fato, o transformei, ou seja, fiz de meu ateliê uma instalação de Bienal. Na frente, tinha um tema conhecido cientificamente: "De onde viemos, quem somos, e para onde iremos..."

 

Boceta de Pandora: Assim como Eva no antigo testamento, Pandora era a primeira mulher da Mitologia Grega, dotada de graças e talentos. Seu pai Zeus, deu a ela de presente uma caixa contendo todos os males do mundo. Na terra, ao ser desposada pelo seu marido Epimeteu, ele abriu a caixa, espalhando todos os males, ficando no fundo apenas a esperança!

Título – Boceta de Pandora
Técnica mista
Dimensão - 150 x 100 cm.
Acervo do artista


Obs.: Algumas imagens não estão em boa resolução, devido terem sido capturadas de vídeo amador

O tempo vive, ele expressa sua arte e beleza no envelhecimento.
 
 
 
  Dotstore - Plataforma e-commerce